Saturday, 19 November 2011

Cativo

Existem palavras que inexistem
Como aquela que tento encontrar
Para explicar, ou mesmo definir,
O que sinto por você

Está além do meu alcance;
Não consigo expressar;
Incertezas pairam no meu entender,
Que, de ti, cativo veio a ser

Em mim persiste a dúvida:
Quem és tu?
Que capaz foi de tirar-me a razão
E a fazer atada a ti?

Miscelânia de sentidos
Em mim operastes;
Toda minha melancolia
Em alegria transformastes

Sem falar da plenitude
Dos meus sonhos, esvaídos,
Que, num só momento,
Os fizestes renascidos

Certo estou que,
À minh'alma cativa,
Lenitivo foi outorgado:
Pois eis que foi libertada,

Dos pesados grilhões
Que, à solidão,
Fizeram-na aprisionada
Ferida, triste, marcada

Já o nosso presente
Fecunda o porvir
Destes-me, no futuro,
Uma razão pra sorrir





by Hitalo Viana

3 comments:

Inoema escritora said...

Caro Hitalo, vim agradecer a visita e me deparei com tão lindas poesias,virei mais vezes com mais tempo para conhecer melhor teus escritos, um grande abraço!

"Incertezas pairam no meu entender,
Que, de ti, cativo veio a ser..."
perfeito!

Aguado você no Inoemaescritora.

Costantino said...

Sei un bravo poeta!
Un saluto,Costantino

Nora said...

Bella bella bella!!! :)